Graffiti: Arte com compromisso social

Graffiti: Arte com compromisso social

A arte urbana representa o encontro da vida com a arte. Manifesta-se através de performances, grafite, teatro, entre outras.

Graffiti é o nome dado às inscrições feitas em parede desde a Pré-História, onde os povos deixavam suas marcas nas cavernas em que viviam. Os primeiros desenhos feitos com tinta spray aconteceram no Bronx, um bairro de Nova Iorque, onde os jovens utilizavam o grafite urbano como forma de protesto. Essa manifestação artística está relacionada principalmente ao hip-hop, que teve início no começo dos anos 70 pelas comunidades latinas, afro-americanas e jamaicanas. 

A palavra graffiti vem do italiano “graffare” que significa “riscar”. São inscrições caligrafadas e desenhos que são rabiscados, riscados ou pichados em uma parede ou em outra superfície em um espaço público. 

Essa arte chega ao Brasil, na cidade de São Paulo, em uma época conturbada em que a população era silenciada pela censura com a ditadura militar no poder. A partir disso, a arte de grafitar passa a ser um importante veículo de comunicação urbana e colabora para a existência de outras vozes. 

O grafiiti, inicialmente, foi uma arte que transformava a cidade em um suporte de comunicação artística sem delimitação de espaço, mensagem ou mensageiro. Os grafiteiros brasileiros utilizaram os espaços públicos a fim de transmitir mensagens políticas, sociais, culturais, humanitárias e artísticas. Esse tipo de expressão facilitou a fusão entre o centro da cidade e a periferia.

Existem diversas formas dessa arte, como: Stencil, que é caracterizado pela rapidez com que pode ser feito, basta pintar os espaços ocos na cartolina que faz o contorno da imagem; Bomb, é o mais comum em São Paulo, caracterizado pelos desenhos e formatos arredondados em paredes, vagões de trem e portas de garagem; Wildstyle, essa forma complexa de grafite é caracterizada pelas intersecções das formas, muitas vezes são tão detalhadas que nem dá pra ler direito o que está escrito; Thrownup, consiste em desenhar somente as formas vistas no “Bomb”, sem preenchimento; 3D, é o formato que da impressão de que estão saindo das paredes; Tag, é a assinatura do grafiteiro;  

O grafiiti também cumpre uma função social muito importante. Nas principais capitais do Brasil, algumas entidades utilizam as técnicas dessa arte para atrair jovens da periferia, visando tira-los do mundo da marginalidade para transformá-los em artistas. Os adolescentes participam de programas que inclui o desenvolvimento pessoal e o aprendizado de competências básicas para o trabalho e geração de renda. Em Campinas, interior de São Paulo, através do projeto “Graffito”, os alunos do Núcleo de Ação Social (NAS), aprendem com aulas práticas e teóricas, os mais variados tipos de arte. O objetivo do grafiiti dentro da sala de aula, seja em escola ou projetos sociais, é estimular o conhecimento de vários segmentos artísticos e educacionais. Nas aulas, além de aprender a pintar muros e novos métodos de desenho, as crianças aprendem sobre a teoria das cores, geometria, matemática, física, química e conversam sobre a história do grafite.

Até 2011, o grafiiti era considerado crime ambiental. A partir daquele ano, apenas a pichação continuou sendo crime. Algumas pessoas consideram o grafiiti como uma forma de vandalismo, mas essa expressão artística evoluiu significativamente e deixou sua marca em paisagens urbanas. Segundo estudiosos do tema, o grafiiti brasileiro é considerado um dos melhores do mundo.

Por |2019-08-23T00:56:04-03:0023 agosto 2019|burburinho|0 Comentários

Deixe um comentário